• clique e saiba mais!

    Nossa ética

    Nossa ética

    O autor assume integralmente a responsabilidade pelos conteúdos publicados nesta página.

  • Convicção

    Convicção

    Um homem da ciência não deve ter desejos nem afeições, somente um mero coração de pedra (Charles Darwin).

  • Exatidão

    Exatidão

    Não questione a natureza...! Apenas respeite e contemple.

  • Simplicidade

    Simplicidade

    Na natureza o exuberante pode ser extremamente simples.

  • Determinismo

    Determinismo

    O determinismo genético é implacável e dele não se pode escapar!? Para o bem ou para o mal; interferências psíquicas, sociais e culturais podem evitar ou retardar a expressão do gene.

  • Certeza

    Certeza

    Tuas forças naturais, as que estão dentro de ti, serão as que curarão as suas doenças (Hipócrates).

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
Translate into your language

Efeito bumerangue: será esta a lógica da natureza?

0 comentários


Eu já ouvi dizerem que a natureza é vingativa... Também já ouvi que a natureza sempre toma de volta o que lhe pertence. Outra frase relativamente comum diz que "Nada acontece por acaso". Consideradas as proporções devidas, acho que essas frases de domínio público guardam, nas entrelinhas, alguma coerência e, em maior ou menor intensidade, relacionam-se à Terceira Lei de Neuwton (Lei da Ação e Reação).

De acordo com essa Lei, se um corpo A exerce uma força sobre um corpo B (força de ação), o corpo A também experimenta uma força emanada do corpo B (força de reação) de mesma intensidade e direção, mas em sentido oposto.

Talvez o "x" da questão em relação às frases que utilizei para iniciar esta postagem recaia, mais uma vez, na sensação de superioridade que o homem imagina ter sobre tudo, quando, na verdade, somos apenas mais um corpo obedecendo à Terceira Lei de Newton e tantas outras regras que regulam a dinâmica da lógica da natureza. Por isso ficamos tentando encontrar explicações para justificar os nossos fracassos na interação com o universo.


Podemos até verbalizar que a natureza é caótica, mas isso se deve ao fato de, enquanto míseros mortais, sermos incapazes de analisar o todo. A nossa ignorância sobre o todo, portanto, obriga-nos a nos posicionar de forma extremamente reducionista e imediatista quando consideramos eventos naturais complexos a exemplo de terremotos, furacões, maremotos, erupções vulcânicas; ou mesmo eventos menos complexos como a queda de um raio, tempestades com inundações, quedas de barreiras, etc. Assim, chega a ser compreensivo ouvirmos falar em vingança da natureza ou alguma frase semelhante... Ainda mais quando a suposta vítima é o "todo poderoso" ser humano.

Exemplo de estrutura fractal.
O fato é que a matemática e a física modernas já conseguem afirmar que a natureza se organiza e funciona a partir de padrões simétricos. Algo como fractais que são estruturas que repetem sua organização infinitamente em escalas cada vez menores, onde cada fragmento é igual ao todo, e cujo limite é o átomo. A natureza, portanto, possui uma ordem intrínseca imutável e tudo o que ocorreu, ocorre e irá ocorrer foi e será com o intuito de manter essa ordem.

Tem melhor exemplo de simetria do que a molécula de DNA? A simetria está presente em tudo na natureza, sempre expressando equilíbrio: o dia e a noite, o quente e o frio, o sólido e o líquido, o vaivém das marés - os exemplos são infinitos.

Considerando que a lógica da natureza é pautada em padrões simétricos que se harmonizam em escalas extremamente grandes é compreensível que a manutenção desses padrões demande comprometimento de quantidades volumosas de energia potencial que, quando necessário, são dispendidas com o objetivo de restabelecer a "ordem natural" por ventura perturbada pela ação humana. Sim; o homem é o único animal capaz de perturbar a ordem natural! Os demais seres vivos são literalmente regidos pela "batuta" da natureza. O homem interfere e modifica o ambiente, ao seu prazer, pautado em critérios que quase sempre estão em distonia com o natural. Até parece ação deliberada de desafio, senão vejamos: 1) desviar curso de rios para realizar construções físicas; 2) aterrar áreas que alagam naturalmente; 3) edificar em áreas de encostas e promover a remoção de cobertura vegetal dessas encostas; 4) edificar em áreas sabidamente abaixo do nível do mar; 5) edificar em áreas de junção de placas tectônicas; 5) permitir aglomerados urbanos em imediações de vulcões ativos; 6) alterar parâmetros físicos do ambiente a exemplo de temperatura e pressão, mediante produção e emissão na atmosfera, no solo, nos rios e mares de gases e outros produtos químicos. A lista de exemplos é extensa!

Então; considerando que cada célula em um organismo multicelular busca manter-se em harmonia com o referido organismo - ao que chamamos de homeostase - a terra faz o mesmo em relação ao sistema solar e por extensão à via láctea. Então eu pergunto: que importância a terra vai dar ao ser humano quando ela tiver que realizar alguma tarefa objetivando manter ou restabelecer o seu equilíbrio em relação ao universo?

----------
Para redigir esse artigo o autor se inspirou no texto "Simetria: lógica na natureza" publicado em https://super.abril.com.br/ciencia/simetria-logica-na-natureza/



Leia-me

E você...! Já cuidou da água hoje?

0 comentários


No dia 22 de março de 1992, a Organização das Nações Unidas (ONU) criou o Dia Mundial da Água, sinalizando para a necessidade de colocar em pauta questões essenciais que envolvem os recursos hídricos. Assim, se na sua agenda não tem espaço para inserir alguma estratégia individual que resulte em uso racional da água, sugiro que repense suas atitudes e inclua a água na sua lista de prioridades. Nossa dependência em relação a este recurso natural é, simplesmente, extrema!

O vídeo abaixo, produzido pela Agência Nacional da Água (ANA), é uma pequena homenagem do Laboratório Terra S.A. ao Dia Mundial da Água que se comemora no dia 22 de março.






Leia-me

Sangue... Ninguém precisa, até precisar.

0 comentários


O esforço que a humanidade empreende pelo desenvolvimento de um produto comparável ao sangue humano é histórico e os motivos justificam. Talvez o motivo mais importante seja a insuficiência de sangue para transfusões nos hospitais em todo o mundo, apesar de milhares de doações serem feitas diariamente. Outros motivos não menos importantes: 1) mesmo imaginando um cenário em que doações suficientes fossem feitas, existem impedimentos concretos para o salvamento de vidas em alguns lugares devido à falta de estrutura mínima para o adequado cuidado com o sangue doado; 2) o curto prazo de validade do sangue doado que é de aproximadamente 5 dias para plaquetas, 35 dias para hemácias e 24 meses para plasma congelado; 3) os riscos biológicos envolvidos na administração do sangue natural, principalmente quando se trata de receptores imunocomprometidos; e 4) a necessidade de rigor com o processo de tipagem sanguínea de doador e receptor e o tempo requerido para a execução desse procedimento.

Um produto elaborado para ser utilizado como sangue artificial, provavelmente, será mais seguro no que diz respeito aos riscos biológicos; além do que deverá ter um período de validade bastante superior ao do sangue natural. Por fim, este produto sintético não deverá possuir antígenos e isso dispensará a necessidade de realizar tipagem sanguínea.

Mas “inventar” um produto artificial comparável ao sangue humano não é tarefa fácil! Isso porque o sangue humano é um tecido extremamente complexo, repleto de células do sistema imunológico e de uma infinidade de proteínas. Entretanto é consenso que, para ser utilizado numa situação de urgência / emergência, o sangue artificial não precisa ter a mesma complexidade do produto original. Assim, os pesquisadores estão particularmente interessados em um produto composto basicamente de células vermelhas (hemácias), por entender que seria adequado para uma resposta imediata objetivando a manutenção da vida à partir de transfusão.


As hemácias são células anucleadas e arredondadas e representam o principal constituinte da fração sólida do sangue, conferindo-lhe a cor vermelha característica devido à concentração de moléculas de uma proteína denominada hemoglobina, cuja principal função é transportar oxigênio e gás carbônico entre os pulmões e todo o organismo.

Tentativas anteriores de desenvolver sangue artificial utilizando-se hemoglobinas "livres" foram frustradas ao se constatar que essas moléculas se decompõem em compostos de ferro reativo e radicais livres quando não estão contidas pelas paredes de uma célula, podendo produzir efeitos colaterais tóxicos. Estão em curso algumas experiências que vale a pena destacar:

➽A Universidade de Essex, no Reino Unido, através de um projeto de biologia sintética denominado "HaemO2" vem empenhada no desenvolvimento de um produto com características de sangue artificial que se baseia numa molécula de hemoglobina modificada, criada através da inserção de genes em bactérias E. coli cultivadas em laboratório. As bactérias produzem a proteína desejada durante sua atividade metabólica normal, e mais tarde os cientistas colhem as células vermelhas transformadas, que são purificadas e concentradas para serem usadas no produto final.

➽Pesquisadores da Universidade de Bristol (Grã-Bretanha) desenvolveram uma técnica, baseada em células-tronco, capaz de produzir glóbulos vermelhos prematuros "imortalizados" que podem ser cultivados em quantidades ilimitadas, o que sinaliza com uma possibilidade real de produção em massa. Já é possível produzir alguns litros de sangue no laboratório; mas há uma grande diferença entre isso e o enorme volume necessário para suprir a demanda a rede hospitalar. No momento, portanto, o desafio é traduzir a técnica para a produção em escala industrial.

➽Cientistas da Universidade de Edimburgo (Escócia) desenvolveram um método de fazer células-tronco adultas da medula óssea e cultivá-las em laboratório para produzir células que se parecem e agem semelhantes às células vermelhas do sangue. O método ainda passa por aperfeiçoamento técnico que consideram o uso de células-tronco retiradas de embriões, ou células da pele reprogramadas, em vez de células adultas porque, embora o produto final não imite sangue vermelho tão bem, pode ser cultivado em quantidades muito maiores no laboratório.

➽Até mesmo soluções radicais como o desenvolvimento de um composto completamente artificial que execute com segurança as mesmas funções-chave do sangue estão sendo consideradas em algum lugar do mundo. Isso poderia envolver a inserção de hemoglobina sintéticas em uma estrutura celular também sintética, ou utilizar um produto químico para manter a hemoglobina estável para que possa ser injetada sem a necessidade de glóbulos vermelhos.

Rússia e África do Sul já utilizam um subproduto artificial desenvolvido nos Estados Unidos e elaborado a partir do sangue bovino. As autoridades sanitárias americanas, entretanto, não liberaram a utilização no referido país porque testes demonstraram que o produto aumenta o risco de acidente vascular cerebral, pancreatite e problemas cardíacos.

“O Hemopure proporciona uma forma alternativa de distribuir oxigênio para os tecidos do organismo quando células vermelhas compatíveis não estão disponíveis ou quando os médicos ou pacientes preferem evitar a transfusão de sangue habitual”, afirma Douglas Sayles, diretor de comunicações da Biopure, empresa de Massachusetts fabricante do composto.

Como se vê são várias as frentes de estudos no mundo o que nos autoriza imaginar que logo teremos uma substância segura que substitua, ao menos provisoriamente, o sangue natural até que uma transfusão definitiva possa ser realizada. O fato é que, embora seja um substituto imperfeito do sangue natural, o sangue artificial deverá revolucionar as perspectivas de prognósticos envolvendo a prestação de socorro em catástrofes, guerras, desastres, etc. Mesmo em ambiente hospitalar ou ambulatorial o recurso poderá ser usado em situações específicas principalmente em regiões onde bancos de sangue não estão disponíveis.

------------------
Créditos:
http://hypescience.com/sangue-artificial/
https://super.abril.com.br/ciencia/parece-mas-nao-e-3/



Leia-me
A definir...

Bem vindos / bienvenidos / Bienvenue / 欢迎 / Welcome / Willkommen / benvenuto / ...
free counters
  •