• clique e saiba mais!

    Nossa ética

    Nossa ética

    O autor assume integralmente a responsabilidade pelos conteúdos publicados nesta página.

  • Convicção

    Convicção

    Um homem da ciência não deve ter desejos nem afeições, somente um mero coração de pedra (Charles Darwin).

  • Exatidão

    Exatidão

    Não questione a natureza...! Apenas respeite e contemple.

  • Simplicidade

    Simplicidade

    Na natureza o exuberante pode ser extremamente simples.

  • Determinismo

    Determinismo

    O determinismo genético é implacável e dele não se pode escapar!? Para o bem ou para o mal; interferências psíquicas, sociais e culturais podem evitar ou retardar a expressão do gene.

  • Certeza

    Certeza

    Tuas forças naturais, as que estão dentro de ti, serão as que curarão as suas doenças (Hipócrates).

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
Translate into your language / Traduza para o seu idioma.

Controle biológico deve ser a regra e não a exceção!

0 comentários


#controlebiologicoetudo
Eis os temidos "Marimbondos Vermelhos"!.
Se fôssemos capazes de entender a sua linguagem compreenderíamos que não querem nada conosco! Diriam, eles; Não mexam comigo e não incomodaremos!

Eu encontrei esse ninho, ontem (15.06.2019), numa árvore dentro de um terreno que possuo no interior do Estado. E é claro que não vou eliminá-lo! Afinal, são ótimos predadores de aranhas, formigas, e outros artrópodes. Sou de opinião que o controle biológico deve ser a regra e não a exceção.

Mas a dieta também inclui néctar e pólen, o que nos permite concluir que são polinizadores e, consequentemente, viabilizam a fecundação de flores, a produção de frutos e a diversificação vegetal.

#controlebiologicoetudo
Esses indivíduos também são conhecidos, popularmente, como Marimbondos Cavalo dado ao seu enorme tamanho (10 a 15 mm) e poder da peçonha que, em casos extremos, pode causar a morte da vitima.

Uma vez que sou biólogo e pra não correr o risco de alguém comentar que não coloquei a identificação científica do espécime, aí vai.
Reino: Animalia.
Filo: Arthropoda.
Classe: Insecta.
Ordem: Hymenoptera
Familia: Pompilidae.
Gênero / Espécie: Pepsis fabricius


-----
Referência:
https://uniprag.com.br/pragas-urbanas/abelhas-vespas-e-marimbondos/





Leia-me

Eugenia... Você foi selecionado?!

0 comentários


Não é esporádico lermos ou ouvirmos a expressão "O conhecimento liberta!". Talvez os melhores representantes desse aforismo sejam o filósofo grego Sócrates (479-399 a.C.) a quem é atribuída a frase Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses e, no Novo Testamento, mais precisamente em João (8:32) onde registra-se a seguinte citação atribuída a Jesus: E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.

Seria muita presunção desse modesto texto discorrer sobre a natureza da verdade! Trata-se de conceito desafiador e que inquieta a humanidade desde os primórdios, sobretudo quando é assumindo o viés religioso. Assim, em pleno Século XXI, ainda se discute se a verdade é real e absoluta ou relativa e ilusória, tal qual faziam os filósofos na antiga Grécia.

Já no campo científico a inquietação acerca da verdade foi, praticamente, pacificada na primeira metade do século XVII quando da publicação de um tratado do filósofo René Descartes (1637), intitulado Discurso sobre o método, que trata de um método para bem conduzir a razão na busca da verdade dentro da ciência. A partir da publicação de Descartes, portanto, a ciência assume o seu caráter relativo e ilusório em relação à verdade.

Passando agora a discorrer, efetivamente, sobre o tema da postagem, parece inevitável a necessidade de definir o termo Eugenia, cuja autoria é atribuída a Francis Galton (1822-1911) e quer dizer, literalmente, "Bem Nascido". Para Galton, trata-se do estudo dos agentes sob o controle social que podem melhorar ou empobrecer as qualidades raciais das futuras gerações seja física ou mentalmente. Além de ser primo de Charles Darwin, o inglês Galton foi antropólogo, matemático e estatístico. Ao introduzir o conceito de eugenia, ele propôs a substituição das forças cegas da seleção natural, como agente propulsor do progresso, por uma seleção consciente e que a humanidade deveria usar todo conhecimento adquirido pelo estudo e pelo acúmulo evolutivo dos tempos passados a fim de promover o progresso físico e moral no futuro.

O tema é quente, controverso, polêmico e, por isso, inevitável. Mas, arrisco-me dizer que se não fossem os acontecimentos nefastos patrocinados por Adolf Hitler, na Alemanha Nazista durante a II Guerra Mundial, envolvendo a perspectiva de pureza de raça, talvez esse assunto não fosse envolto em tanta polêmica. A eugenia na dimensão da ideologia da pureza racial, patrocinada pelo regime político nazista e que culminou no holocausto, representa uma página que espera-se envergonhar para sempre a humanidade.

Já no universo científico existe uma corrida frenética ao desenvolvimento de técnicas de melhoramento genético que, após confirmadas a eficácia e eficiência, são implementados largamente em micróbios, plantas e animais. Ainda existem ressalvas e questionamentos éticos quanto ao seu uso nos seres humanos, chegando-se ao ponto de alguns cientistas declararem ser impossível mudar a natureza humana, ou seja, a maneira de pensar, sentir, agir, etc,.

É inegável o progresso que a Biologia Molecular vem experimentando após a descoberta da estrutura tridimensional da molécula do DNA (Ácido Desoxirribonucleico), por James Watson e Francis Crick, em 1953. Outro feito de valor incomensurável para o futuro da humanidade foi o sequenciamento do genoma humano - denominado Projeto Genoma - que demorou 50 anos até o desenvolvimento e domínio das técnicas biomoleculares adequadas; tempo relativamente pequeno no âmbito da história da ciência.

Parece evidente que as bases para a manipulação gênica já estão inteiramente sob o controle da ciência. A descoberta de Watson & Crick abriu uma nova era para a ciência e vem causando uma verdadeira revolução na investigação científica relacionada às ciências da vida. Ou seja, o que aconteceu até agora está longe de ser o final da história e sim o início de mais um capítulo.

Uma área alvo de muita atenção, tensão e preocupações relativas aos avanços já acumulados é a Embriologia e Reprodução. Basicamente, apenas preceitos ético, morais e religiosos estão contendo o conhecimento acumulado nessa área, para que permaneça restrito ao ambiente acadêmico. Considerando o extraordinário avanço da Biologia Molecular, parece ser impossível prever como será o processo de geração de seres humanos daqui a 100 anos, uma vez que o congelamento de embriões, a fecundação in vitro, a barriga de aluguel romperam a barreira da resistência social e podemos dizer que já são práticas relativamente corriqueiras. A escolha do sexo (sexagem) também está disponível na fecundação in vitro, se for desejo do cliente! A clonagem humana ainda ostenta a condição de inadmissível / inaceitável! Mas animais de estimação já são clonados em várias partes do mundo. Parece que o individuo humano resultante da fusão aleatória de um gameta masculino - dentre milhões possíveis - com um gameta feminino, no futuro não tão distante, será apenas mais uma opção de reprodução disponível, comercialmente.

Numa outra extremidade; e esta de maior consenso social, vemos a moderna Biologia Molecular, representada pela descoberta da estrutura em dupla hélice da molécula de DNA e pelo projeto genoma, apontar para outros horizontes igualmente fascinantes como a possibilidade de síntese de medicamentos personalizados de acordo com o código genético de cada indivíduo; aumentando a eficiência / eficácia e melhorando o perfil toxicológico.

Retomando o inicio do texto, reconheço que o conhecimento liberta e a ignorância aprisiona. Mas, também, sou de opinião que cada um é escravo do conhecimento ou da ignorância que tem.

-----------------------
Referencias consultadas. 
DEL CONT, Valdeir. Francis Galton: eugenia e hereditariedade. Sci. stud.,  São Paulo ,  v. 6, n. 2, p. 201-218,  June  2008.
A descoberta do DNA e o projeto genoma. Rev. Assoc. Med. Bras.,  São Paulo ,  v. 51, n. 1, p. 1,  Feb.  2005.



Leia-me

Dos ares, das águas e dos lugares; depende a saúde.

0 comentários


Hipócrates examinando um doente.
Por volta de 460 anos antes de Cristo, Hipócrates já discutia o papel do ambiente no processo saúde-doença. Isso pode ser constatado em sua obra “Dos ares, das águas e dos lugares” onde ele estabeleceu uma relação intrínseca entre a saúde humana e o ambiente, conforme retratado no trecho que segue: 

[...] Quem deseja estudar corretamente a ciência da medicina deverá proceder da seguinte maneira. Primeiro, deverá considerar quais efeitos pode produzir cada estação do ano, visto que as estações não são todas iguais, mas diferem amplamente tanto em si mesmas como nas mudanças. O ponto seguinte se refere aos ventos quentes e aos frios, principalmente aqueles universais, mas também aqueles peculiares de cada região. Deverá também considerar as propriedades das águas, pois tal como elas diferem em sabor e peso, também suas propriedades se diferenciam. Portanto, ao chegar a um povoado que lhe é desconhecido, o médico deverá examinar sua posição em relação aos ventos e ao sol, pois uma face norte, sul, oriente e ocidente, tem cada uma um determinado efeito. Deverá considerar tudo isso com o maior cuidado assim como também saber de onde os nativos buscam a água, se usam águas pantanosas, suaves, ou então se são duras e vêm de lugares altos e rochosos, ou são salobras e ásperas. Também o solo, se é plano e seco, ou com bosques e com águas abundantes [...] (HIPÓCRATES apud CAIRUS., 2005).


Leia-me
  • Câncer e sociedade humana. Qualquer coincidência é mera semelhança.

    O painel abaixo registra o país e o número de pessoas do referido país que visitaram o site pela primeira vez.
    Bem vindos / bienvenidos / Bienvenue / 欢迎 / Welcome / Willkommen / benvenuto / ...
    free counters