English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
Translate into your language

Esperma, um santo remédio... Quem diria!?

2 comentários


Há muito estou convencido que na terra, nesse planeta que não passa de um laboratório natural, há substâncias ativas contra todos os problemas que acometem os organismos vivos, tanto os humanos como os demais animais e vegetais. Os antibióticos são o melhor exemplo disso! Os nossos antepassados, há séculos, se valeram das propriedades terapêuticas de ervas e de produtos oriundos de outros animais para resolver, ao seu modo, os seus problemas de saúde e muitos desses conhecimentos, até então apenas empíricos, estão sendo ratificados por protocolos científicos nos diversos laboratórios de pesquisa espalhados pelo mundo.

Nesses tempos em que o homem (sexo masculino, cromossomos XY) está ficando cada vez mais descartável do ponto de vista da sua importância para a reprodução da espécie, ver em (http://www.laboratorioterra.com/2009/09/gravidez-nove-meses-que-desconforto.html), a busca de alternativas para aumentar a utilidade do macho é crescente, senão vejamos: Recentemente recebi um news leater informando que nos Estados Unidos existem indústrias farmacêuticas investindo pesado em estudos com amostras de esperma humano, na perspectiva de desenvolver produtos de uso medicinal, cosmético e dietético a partir do sêmen. Os produtos, ainda em fase de testes, prometem reduzir colesterol, aumentar a higidez do sistema imunológico, proteger o sistema cardio-pulmonar devido a existência de Omega-3 e ainda tem propriedades anti-bacterianas. Como se não bastasse, já existem aproveitadores comercializando pela internet algo com o nome comercial de "Sweet Release": " Não há outro produto como este", assegura a publicitária do recém lançado produto que só é vendido através da internet em embalagens plásticas contendo 60 cápsulas ao preço de 42,76 euros (R$110,00).

Acho que as conclusões dos estudos confirmarão o que se escuta nas rodas de conversas "leigas" de que esperma faz bem para a pele, para o cabelo, etc. Mas as pessoas deveriam aguardar essas conclusões. Se esse produto não está disponível para venda nas farmácias é porque ainda não possui os necessários registros. A aquisição através através da internet não permite a suficiente garantia da procedência, sobretudo em relação à matéria-prima (esperma).

Fico, entretanto, imaginando quando esse produto entrar em escala industrial... Haverá uma verdadeira corrida dos homens aos bancos de coleta de esperma (laboratórios) em busca de alguns trocados. E os laboratórios provavelmente precisarão aumentar as suas equipes para atender à demanda. Quem já fez vasectomia vai perder a boquinha!


Próxima Publicação.

Sangue... Ninguém precisa, até precisar.

  •